Cleonice Schlieck

Não são as nossas rugas que demonstram o quanto vivemos, mas aquilo que carregamos dentro de nós...

Textos

Se passares
Se passares em frente à casa minha
E em desalento profundo me encontrares
Perdida em meu divagar
Como quem não sabe o que procura
Nem tão pouco o que há de achar
Não bata no portão
Nem toque a campainha ou
Faça qualquer barulho;
Não perguntes por mim
Nem pronuncie meu nome
Em tão suave sussurro
Deixe-me estar abandonada
Só, com as tristezas que me invadem,
Deixe-me estar perdida, insegura!
Deixe-me estar assim! Deixe-me ficar assim!
Se passares em frente à casa minha
Finjas que não me conheces
Siga com passos suaves
Não provoque em mim embaraços
Feche os olhos como fechados estão os meus
Se quiser cultivar flores em jardim florido
Plante rosas e margaridas
Bem distante de mim;
Não deixe de seguir seu caminho
Só porque estou em desalento profundo.
Porque, depois de haver perdido seu amor,
Nada mais me importa neste mundo!
Cleonice Schlieck
Enviado por Cleonice Schlieck em 07/04/2020


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras